Senado fará sessão especial para comemorar os 40 anos de gestão das Fortalezas pela UFSC

18/11/2019 21:51

O Plenário do Senado Federal em Brasília fará uma sessão especial na próxima quinta-feira, dia 21 de novembro, a partir das 14:00 h, para comemorar as quatro décadas da UFSC à frente da gestão das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina. Atualmente a Universidade é responsável pelo gerenciamento, guarda, manutenção e conservação de três fortalezas históricas do litoral catarinense: Santa Cruz de Anhatomirim, Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa.

A proposição, aprovada pelo plenário do Senado Federal em 02/07/2019, foi uma iniciativa do Senador Esperidião Amin (PP/SC), por meio do requerimento de nº 560/2019, e contou também com a adesão dos senadores Alvaro Dias (PODEMOS/PR), Luis Carlos Heinze (PP/RS), Major Olimpio (PSL/SP), Zequinha Marinho (PSC/PA), Humberto Costa (PT/PE) e Rogério Carvalho (PT/SE). A sessão especial será transmitida ao vivo pela TV Senado em seu canal no YouTube: youtube.com/tvsenado.

Além disso, também ocorrerão durante o evento:  1) a exibição do vídeo “De ruínas a Patrimônio Cultural da Humanidade”; 2) a entrega à Biblioteca do Senado de três publicações temáticas sobre as fortalezas: o livro infantil de educação patrimonial “Fortalezas da Ilha: uma visita ao passado”, a revista “Restauração das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina: Depoimentos”, e o livro “As defesas da Ilha de Santa Catarina e do Rio Grande de São Pedro em 1786”; 3) e, em paralelo à solenidade, a apresentação de uma mostra composta por 18 pôsteres que contam parte da história desses monumentos, sua recuperação e abertura ao público.
Construídas pela Coroa Portuguesa a partir de 1739, com a função de guarnecer a entrada da Barra Norte da Ilha, as fortalezas foram projetadas por José da Silva Paes, brigadeiro, engenheiro militar e primeiro governador da Capitania de Santa Catarina. As obras deram início ao sistema defensivo da Ilha, completado ainda pela Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, na entrada da Barra Sul. Essas defesas foram posteriormente ampliadas com a construção de outras dezenas de fortificações, como fortes, baterias e trincheiras. Santa Catarina chegou a somar mais de 45 construções similares até o início do século XIX. Porém, ainda na primeira metade daquele século, a maioria delas já havia desaparecido, por arruinamento, abandono ou demolição.

Na década de 1970, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) começou as obras de restauração na Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim e, ao fim da década, a UFSC assumiu a tutela do monumento por meio de um convênio assinado entre a Universidade e a Marinha do Brasil, com a interveniência do Iphan. O ritmo das obras se acelerou e a fortaleza foi aberta à visitação pública em 1984. Sete anos mais tarde, as fortalezas de Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa passaram também à guarda da UFSC, tendo sido abertas ao público em 1992.


Candidatura a Patrimônio Mundial

A Fortaleza de Anhatomirim, hoje em área de jurisdição do município de Governador Celso Ramos, e a Fortaleza de Ratones, no município de Florianópolis, atualmente integram o Conjunto de Fortificações no Brasil, candidato a Patrimônio Cultural da Humanidade. Composto por 19 construções situadas em 10 estados brasileiros, o conjunto está entre os bens que integram a Lista Indicativa Brasileira a Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).


Coordenadoria das Fortalezas da UFSC

As fortalezas estão hoje sob a responsabilidade da Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina (CFISC), antigo “Projeto Fortalezas”, setor vinculado à Secretaria de Cultura e Arte da UFSC (SeCArte). Os três monumentos encontram-se abertos à visitação pública para a realização de atividades de cultura, educação, turismo e lazer. No ano passado, a Universidade registrou 196 mil visitantes nas três unidades.

No endereço eletrônico da Coordenadoria das Fortalezas é possível fazer um passeio virtual e saber mais sobre a estrutura de visitação e a história de cada uma das edificações salvaguardadas pela instituição. Informações adicionais sobre essas e as demais fortificações de Santa Catarina, do Brasil e de outros países podem ser acessadas na página fortalezas.org – “Banco de Dados Internacional Sobre Fortificações”, plataforma digital também desenvolvida e gerenciada pela UFSC e chancelada pelo Icofort  (Comitê Científico Internacional sobre Fortificações e Patrimônio Cultural Militar), organismo ligado ao Icomos (International Council on Monuments and Sites).

A Coordenadoria das Fortalezas está localizada no pavimento térreo do Centro de Cultura e Eventos da UFSC, e o contato com o setor pode ser feito pelo e-mail  e pelo telefone (48) 3721-8302. A Coordenadoria também está nas redes sociais: facebook.com.br/fortalezas.ufsc e  instagram.com/fortalezasdaufsc.

Serviço:

O quê: Sessão Solene Especial destinada a comemorar os 40 anos de Gestão das Fortalezas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Onde: Plenário do Senado Federal | Brasília – DF
Quando: 21 de novembro de 2019 | quinta-feira | 14:00 h
Transmissão ao vivo: TV Senado | youtube.com/tvsenado

Maykon Oliveira/Jornalista da Agecom/UFSC (com a colaboração de Roberto Tonera).
Fotos: Jair Quint