Lançamento do edital para uso dos espaços físicos do projeto Fortalezas 2014/2015

07/03/2014 15:31

A Secretaria de Cultura (Secult) da UFSC torna público o edital Espaço Vivo  – Fortalezas 2014/2015, que trata da ocupação das Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, Fortaleza de São José da Ponta Grossa e Fortaleza de Santo Antônio de Ratones. O Edital 01/2014 tem  por objetivo a seleção, por meio de uma Comissão designada pela própria SeCult, de propostas para a ocupação dos espaços públicos das Fortalezas nas áreas de eventos acadêmicos, científicos, culturais, educacionais, religiosos e artísticos a serem realizados no período de 30 de abril de 2014 a 29 de abril de 2015. As inscrições são gratuitas e ocorrem de 10 a 30 de março de 2014.

(mais…)

SeCult lança edital para uso dos espaços físicos do Projeto Fortalezas

07/08/2013 13:12

A Secretaria de Cultura (Secult) da UFSC lança, dia 30 de julho, terça feira, o edital Espaço Vivo 2013 – Fortalezas 2013/2014, que trata da ocupação das Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, Fortaleza de São José da Ponta Grossa e Fortaleza de Santo Antônio de Ratones. O Edital 002/2013 define os critérios para a seleção de propostas, de uso precário e eventual, nas áreas acadêmica, científica, cultural, educacional, religiosa e artística a serem realizadas entre 15 de setembro de 2013 e 30 de março de 2014.

A iniciativa atende à Lei 6.120, de 15 de outubro de 1974, que dispõe sobre a alienação de bens imóveis de instituições federais de ensino e à Lei 8.666, de 21 de junho de 1993, conhecida como Lei de Licitações.

Podem participar da seleção pessoas físicas ou jurídicas, mas é vedada a participação de servidores efetivos da UFSC e parentes em até 2º grau dos membros da Comissão de Seleção prevista no Edital. As inscrições são gratuitas e ocorrem de 30 de julho a 30 de agosto de 2013.

Critérios

Para selecionar as propostas, a Secult vai nomear uma comissão própria, formada por três membros. Esta equipe  vai analisar os projetos a partir de 12 critérios classificatórios como a experiência do proponente; gratuidade do evento; abrangência social da proposta. A valorização da cultura local e o compromisso com a visibilidade aos grupos sociais discriminados e marginalizados são outros critérios – previstos no edital – a serem considerados pela comissão.

Os valores de locação dos espaços públicos são regidos por resolução específica do Conselho de Curadores da UFSC, aprovada em novembro de 2010.

Serviço:

Lançamento do edital: 30 de julho de 2013

Inscrições: 30 de julho a 30 de agosto de 2013

Divulgação do resultado: 15 de setembro de 2013.

Execução dos projetos selecionados: 15 de setembro de 2013 a 30 de março de 2014.

Informações: (48) 3721.8302 – www.secult.ufsc.br

Lançamento do livro Florianópolis: História e Arquitetura

21/06/2013 11:39

Hoje será o lançamento do livro Florianópolis: História e Arquitetura, de Anthony Caronia e com textos de Eliane Veras da Veiga e Silvana Leal. O livro foi apresentado em São Paulo na terça-feira dia 18.06.2013 e hoje será  em Florianópolis, na Casa da Memória às 21h30.

A publicação contou com o apoio do Projeto Fortalezas da Ilha de Santa Catarina/UFSC.

Obra que redescobre manuscrito com história das Fortalezas será lançada em 6 de setembro

31/08/2011 10:57

Publicação ilustrada e multimídia de grande importância para reconstituição histórica da vida nas cidades fortificadas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul será distribuída para escolas, meios de comunicação, instituições de memória

Santa Catarina já teve 26 Fortificações de Defesa no século XVIII e o Rio Grande do Sul chegou a erguer 42, das quais sobram oito na Grande Florianópolis e uma em São Francisco do Sul e as ruínas de apenas duas no estado vizinho. Em alguns momentos mais tensos na história das invasões e das disputas territoriais entre Portugal e Espanha, praticamente toda a população da antiga Desterro e do Rio Grande de São Pedro viveu protegido pelas Fortalezas. Examinando-se mapas demarcados dessa época, observa-se que se enfileiravam uma ao lado da outra, formando extensos cordões nas ilhotas e ao longo do litoral. O início dessas construções de defesa coincide com a própria data de fundação dos dois estados, tamanha foi sua importância no desenvolvimento dos povoados. As possibilidades de se conhecer a vida dentro dessas cidades fortificadas e o seu funcionamento esteve por três séculos encerrada dentro de um manuscrito original de 1786 que só agora vem à luz da história com a publicação de uma grande obra que une os esforços da iniciativa individual, pública e privada.

(mais…)

Ilhas de Santa Catarina guardam belezas históricas e naturais

03/05/2011 10:09

Anhatomirim e Ratones são destinos mais procurados por turistas. O passeio dura seis horas e custa R$ 45 por pessoa. Na Baía Norte, entre as cidades de Florianópolis e governador Celso Ramos, fica um dos destinos mais procurados pelos turistas: as ilhas de Anhatomirim e Ratones. Para chegar até elas, a única opção é o barco. As escunas saem de Florianópolis, uma da praia de Canasveiras, no norte da ilha, e outra do centro, ao lado do cartão postal mais famoso de Santa Catarina, a ponte Hercílio Luz. O passeio dura seis horas e custa R$ 45 por pessoa. Menor de 12 anos paga meia e quem tem menos de seis não paga nada.  Se tiver sorte, o turista pode até encontrar golfinhos pelo caminho. Eles aparecem com mais frequência durante a manhã. “Pensei que eu ia encontrar um, dois, mas não isso tudo”, diz Caetana Zago Cruz, estudante.

Uma hora e meia depois de partir, o turista chega à ilha de Anhatomirim. A taxa de visitação é de R$ 10. Na ilha fica a Fortaleza de Santa Cruz construída no século XVIII. “O conjunto de fortificações foi muito interessante na consolidação deste espaço no sul do Brasil para a coroa portuguesa. O conflito entre Portugal e Espanha obrigou o governo português a construírem estas edificações para impedirem a entrada na Baía Sul e Baía Norte da ilha de Santa Catarina”, explica Joi Cletison, historiador universal da Universidade Federal de Santa Catarina.

A fortaleza foi tombada como patrimônio histórico e artístico nacional em 1938. Existem 10 prédios espalhados pela ilha. O espaço era conhecido como quartel da tropa, era o alojamento dos soldados portugueses. Hoje os turistas podem explorar tudo.

Na Baía dos Golfinhos, o mar azul é um convite para espantar o calor. No local existem dois restaurantes, que servem peixes e frutos do mar por R$ 15.

De volta ao mar, logo se vê a Ilha de Ratones, onde fica o Forte de Santo Antônio. A construção foi feita com pedras trazidas de Portugal.

Projeto Fortalezas

24/03/2011 11:29

O Projeto Fortalezas da Ilha de Santa Catarina foi criado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com o objetivo de restaurar e revitalizar as fortificações construídas pelos portugueses no século XVIII para proteger a Ilha de Santa Catarina. Hoje temos totalmente restauradas as fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim (1739 -Ilha de Anhatomirim), São José da Ponta Grossa (1740 – Ilha de Santa Catarina) e a de Santo Antônio de Ratones (1740 – Ilha de Ratones Grande).

O Projeto Fortalezas da Ilha está ligado diretamente à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da UFSC, que mantém as três fortificações abertas à visitação durante o ano todo. O visitante, além de ter contato com os prédios históricos tombados pelo SPHAN em 1938, pode visitar dezenas de exposições e ter contato com a flora, fauna e as belezas naturais da Baía Norte da Ilha de Santa Catarina.