Livro infantil com realidade aumentada conta a história das fortalezas da Ilha de SC

06/11/2019 01:30

A Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina (CFISC), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), e a Secretaria de Educação a Distância (SEAD) da UFSC estão lançando o livro “Fortalezas da Ilha: uma visita ao passado”. De forma lúdica e com belas ilustrações em aquarela, a publicação conta a história do sistema defensivo construído pelos portugueses no século XVIII para garantir a posse da região e proteger o território. O livro traz o recurso de realidade aumentada, em que a criança pode ver, com auxílio de um celular, por exemplo, uma animação com uma caravela saindo de Portugal para o Brasil.

O lançamento do livro ocorrerá no 8º Seminário de Literatura Infantil e Juvenil “(R)ex(s)istências Literárias na contemporaneidade”, dia 6 de novembro, quarta-feira, às 18h, no hall do Bloco D do Centro de Ciências da Educação (CED) da UFSC. A publicação é um material complementar ao projeto “Aprender sobre história também é coisa de criança” e será utilizado com estudantes que participam da “contação de história” e da visita à Fortaleza de São José da Ponta Grossa.

Ao folhearem o livro, eles vão conhecer personagens como o Brigadeiro José da Silva Paes, o engenheiro militar que planejou as fortalezas e o sistema defensivo da região. A narrativa mostra a disputa territorial entre portugueses e espanhóis, construção, uso, abandono, reconstrução e transformação das fortalezas em museus. A produção do livro contou com a participação de diferentes técnicos administrativos em educação (TAEs), como pedagoga, arquiteto especialistas nas fortificações, jornalista e equipe da SEAD, além de contar diretamente com o envolvimento de alunos da UFSC, bolsisitas dos cursos de História e de Arquitetura.

A SEAD foi a responsável pela organização do conteúdo de realidade aumentada do livro. Após instalar o aplicativo, o leitor verá, através do celular, imagens das primeiras quatro fortalezas construídas por Portugal para proteger a Ilha de Santa Catarina. Também poderá assistir a uma caravela se deslocar no mapa, atravessando o oceano para chegar ao Brasil. Além disso, com uso da realidade aumentada, é possível ver como ficou uma das fortalezas após o restauro, com sobreposição das imagens antiga e atual.

Patrimônio Mundial e 40 anos de UFSC

As fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim e Santo Antônio de Ratones são candidatas a Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A UFSC é parte ativa no comitê de trabalho de defesa da candidatura, que envolve outras 17 fortificações pelo Brasil. O início da construção do Sistema Defensivo da Ilha de Santa Catarina data de 1739, completando portanto 280 anos. Desses, a UFSC administra as três fortalezas da Baía Norte (Santa Cruz de Anhatomirim, Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa) desde 1979, completando 40 anos de gestão desses monumentos.