A Coordenadoria

A Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina é o setor administrativo da Universidade Federal de Santa Catarina, vinculado à Secretaria de Cultura e Artes (SeCArte), responsável pelo gerenciamento, guarda, manutenção e conservação das fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, São José da Ponta Grossa e Santo Antônio de Ratones, as quais se encontram sob a gestão da UFSC. Conhecida anteriormente com o nome de Projeto Fortalezas da Ilha de Santa Catarina, a Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina recebeu a atual denominação em maio de 2016.

As fortalezas encontram-se abertas à visitação pública para a realização de atividades de turismo, educação, cultura e lazer. Nelas são também desenvolvidas ações de ensino, pesquisa, extensão da UFSC.

As fortalezas da UFSC também estão disponíveis ao público para a realização de eventos culturais e artísticos, casamentos, lançamento de produtos, ensaios fotográficos, entre outras atividades de curta duração. A cessão de uso temporário dos espaços das fortalezas – bem como de uso de imagem dos monumentos – está regulamentada por edital específico e deve ser solicitada com antecedência mínima de 30 dias da data do evento.

As fortalezas de Santa Cruz e Santo Antônio estão sob a jurisdição da Marinha do Brasil, com quem a UFSC mantém acordo de cooperação para uso e gestão dos monumentos históricos e das respectivas ilhas de Anhatomirim e Ratones Grande.

O conjunto histórico da Ponta Grossa – que é formado pela Fortaleza de São José, pela Bateria de São Caetano e pela Casa da Administração – está diretamente jurisdicionado à UFSC, conforme portaria de cessão de uso emitida pelo Secretaria do Patrimônio da União (SPU).

As três fortalezas da UFSC integravam o antigo sistema defensivo criado pela Coroa Portuguesa a partir de 1739 com a função de guarnecer a entrada da Barra Norte da Ilha de Santa Catarina. Elas foram declaradas Patrimônio Histórico Nacional em 1938 e sua preservação encontra-se sob a responsabilidade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Após um período de abandono e ruínas, as fortalezas foram restauradas sob a coordenação UFSC nas décadas de 1980 e 1990, em conjunto com o IPHAN e outras entidades parceiras. A Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim está sob a gestão da UFSC desde 1979 e foi aberta à visitação pública em 1984. A Fortaleza de Santo Antônio de Ratones passou à guarda da UFSC em 1991 e foi aberta ao público no ano seguinte. Por fim, a Fortaleza de São José da Ponta Grossa, aberta ao público em 1992, também vem sendo gerenciada pela Universidade Federal desde essa data.

A Fortaleza de São José da Ponta Grossa fica localizada na Praia do Forte, norte da cidade de Florianópolis, e pode ser acessada por via terrestre. Já a Fortaleza de Santa Cruz e a Fortaleza de Santo Antônio ficam localizadas, respectivamente, nas ilhas de Anhatomirim e Ratones Grande, na Baía Norte da Ilha de Santa Catarina. A UFSC não é responsável pelo traslado a essas ilhas, serviço prestado pelas empresas de transporte náutico que atuam na região.

Para ingresso nas fortalezas da UFSC, abertas ao público ininterruptamente durante todo o ano,  é cobrada uma taxa de visitação, utilizada na manutenção dos monumentos e na estrutura de apoio ao visitante. Escolas públicas podem solicitar previamente a isenção da taxa.

Para informações adicionais sobre as demais fortificações de Santa Catarina, do Brasil e de outros países, acesse o website fortalezas.org, base de dados internacional sobre patrimônio fortificado, também desenvolvida e gerenciada pela UFSC.

A Coordenadoria das Fortalezas está localizada no pavimento térreo do Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Para entrar em contato com a Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina, envie um e-mail para fortalezas@contato.ufsc.br ou telefone para (48) 3721-8302.